Blog
Faculdades BWS

Como a alimentação pode adiar o envelhecimento

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Compartilhe
Compartilhar no linkedin
Compartilhe
Compartilhar no email
Email

Revista IstoÉGente – Fevereiro de 2006

A nutrologia receita alimentos adequados ao ritmo de vida do paciente e pode retardar o desgaste natural do organismo

Wilmar Accursio

 

A medicina antienvelhecimento, que usa a bioquímica a favor da saúde, é auxiliada por uma especialidade médica pouco conhecida: a nutrologia, que analisa e receita alimentos adequados ao ritmo de vida do paciente. Nosso corpo gasta energia e necessita de várias reações químicas no processo de quebra, absorção e metabolização de tudo o que ingerimos, criando substâncias agressivas ao nosso organismo, os radicais livres.

A restrição calórica moderada é um dos métodos mais antigos para retardar o envelhecimento. O consumo de calorias em excesso, principalmente do açúcar refinado e das gorduras saturadas, é prejudicial à saúde. Esses alimentos, por seu metabolismo, – ou qualquer excesso de ingestão de calorias – provocam um trabalho maior das células, que sofrem mais desgaste, e induzem a formação de substâncias pró-inflamatórias agressivas. Essas substâncias são a maior causa de desgaste, degeneração e morte celular, o que leva ao envelhecimento.

A inflamação microscópica das células é fator importante no processo de envelhecimento. Ela é comum a todos os indivíduos no decorrer dos anos e a falta de quantidades adequadas de vitaminas, minerais e ácidos graxos essenciais e alguns aminoácidos são fatores determinantes para a inflamação. A velocidade do envelhecimento difere de pessoa para pessoa e é influenciada por fatores ambientais como a poluição e a exposição à radiação, alimentação, fumo, estresse e modo de vida.

Para combater o processo e até reverter o quadro da doença, é necessário avaliar as pessoas individualmente, clinicamente e através de exames sanguíneos específicos. Dessa forma é possível orientar a dieta, a suplementação de vitaminas e antioxidantes de modo individualizado, na dose correta, sugerir a atividade física mais adequada, além de praticar a medicina preventiva procurando diagnósticos precoces de doenças em geral e, principalmente, das degenerativas.

Toda essa preocupação com o envelhecimento tem explicação: em todo o mundo ocidental a população está vivendo mais. Existe uma ‘’retangularização’’ da curva de envelhecimento, mostrando que, nos dias de hoje, um indivíduo pode viver com perfeita saúde até aproximadamente 90 anos de idade, antes de entrar na fase de declínio mais rápido que leva à morte.

Como estratégia para administrar o envelhecimento, ressalta-se a importância do uso das vitaminas C, E, dos polifenóis que são antioxidantes e estão presentes in natura nas verduras, frutas, azeite de oliva e no vinho tinto, elementos que compõem a dieta mediterrânea. O estresse oxidativo sofrido por todas as células pode ser retardado e diminuído. Ele é o ponto de partida comum de várias patologias como o câncer, envelhecimento precoce, arteriosclerose e doenças degenerativas como o Alzheimer, Parkinson, esclerose múltipla e esclerose lateral amiotrófica.

Wilmar Jorge Accursio

Médico endocrinologista e nutrologiasta, formado pela Unifesp, presidente da Sociedade Brasileira Antienvelhecimento e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina Estética.

 

Tags

Últimas
NOTÍCIAS

Sugestão de leitura para esta categoria de notícias:

Dúvidas e mais
INFORMAÇÕES

Entre em contato conosco através dos números abaixo ou do formulário ao lado.

    Nosso site utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com isto. Conheça nossa Política de Privacidade.