Desejo e Contrafissura - A Questão Social das Drogas

Apresentação do
CURSO

Objetivo do Curso

O curso tem como objetivo oferecer espaço de formação (básica) teórico-prático para profissionais envolvidos direta e/ou indiretamente no atendimento/acolhimento de pessoas que fazem uso de substâncias psicoativas, ou ainda, para pessoas que buscam um aprimoramento na área.

Curso 100% presencial. Aulas expositivas e dialogadas. Utilização das metodologias ativas como estratégia construção de espaços pedagógicos plurais e dinâmicos, com uso de bibliografia especializada para subsidiar o aprofundamento dos conteúdos.

Contrafissura é um conceito construído por Antonio Lancetti, psicanalista que ao desmistificar o simulacro da epidemia de crack utilizou o termo para caracterizar a ânsia, tanto da sociedade quanto dos gestores públicos, em “resolver” os “problemas” de forma rápida e imediata, construindo campanhas alarmistas com efeitos contrários à diminuição do consumo problemático de álcool e outras drogas.

Assim, o termo Contrafissura é apropriado como identidade nominal do Curso por dois motivos: primeiro, por representar um conceito estruturante e necessário na formação dos profissionais que se dispõem a construir espaços de atendimento e/ou acolhimento pautados pelo respeito à singularidade dos sujeitos que fazem uso abusivo ou problemático de substâncias psicoativas.

Em segundo lugar, é uma necessária deferência à Antonio Lancetti para manter viva a produção intelectual e política desse profissional que foi um dos grandes protagonistas da luta antimanicomial no Brasil e deixou-nos um legado de compromisso ético com os direitos humanos, respeito à diversidade e à liberdade.

Duração:

8 encontros

Público Alvo

Profissionais de várias áreas interessados no tema.

Início da Turma

(em breve)

Pré Requisitos:

Nível médio

Investimento:

4x de

R$ 250,00

Clique na aba desejada para
VER A PROGRAMAÇÃO

Detalhamento das Aulas e Assuntos Abordados

Módulo 01 – “Drogas”, Cultura e Sociedade

  • o uso de “drogas” na sociedade capitalista se transforma em consumo.
  • as “drogas” como mercadoria.
  • miséria e uso “drogas”.
  • pessoa em situação de rua e o “drogas”.
  • o uso de “drogas” entre crianças e adolescentes.

 

Módulo 02 – O contexto histórico do Proibicionismo

  • a origem do proibicionismo no Brasil e no mundo.
  • guerra às “drogas” e racismo: uma política genocida.
  • entre a justiça e o encarceramento em massa.
  • o papel do Estado na questão social das “drogas”.
  • produção, circulação e comercialização de “drogas”.
  • licitude e ilicitude das “drogas”: quem define?
  • abstinência e proibicionismo uma confusão necessária.

 

Módulo 03 – “Drogas” e Questão Social

  • o uso de “drogas” na sociedade capitalista se transforma em consumo.
  • as “drogas” como mercadoria.
  • miséria e uso “drogas”.
  • pessoa em situação de rua e o “drogas”.
  • o uso de “drogas” entre crianças e adolescentes.

 

Módulo 04 – Cidade e Sofrimento

  • neoliberalismo e sofrimento: as “drogas” como alívio das dores cotidianas.
  • o sofrimento como resultado de um projeto político.
  • as cenas de uso e as disputas territoriais. Território marginal e higienismo social.
    a “cracolândia” paulista como espaço de disputa imobiliária: o problema da gentrificação.
  • Direito à cidade como perspectiva utópica.
  • Mulheres e uso de “drogas” – a intersecção entre “drogas” e direito à cidade.

 

Módulo 05 – Direitos Humanos e Políticas de Cuidado

  • resgate histórico da reforma psiquiátrica brasileira e sua influência italiana – Franco Basaglia.
  • as formações da rede de atenção psicossocial – RAPS, seus componentes e pontos de atenção.
  • estratégias de cuidados: entre o singular e o coletivo, a construção dos PTS’s.
  • modalidades de internações e o tratamento em liberdade.

 

Módulo 06 – Redução de Danos

  • levantamento histórico da redução de danos como estratégia de cuidado e saúde.
    redução de danos como prática e como política.
  • abordagens práticas e fundamentos da redução de danos.
  • cuidado em saúde – estratégias de prevenção das DST´s, Hepatites Virais e HIV-AIDS.
  • o estigma da redução de danos: um mal a ser combatido.
  • redução de danos e/ou gestão do prazer?
  • experiências artísticas como estratégias de cuidado.

 

Módulo 07 – As substâncias psicoativas e seus efeitos

  • o que são as substâncias psicoativas e como agem no organismo.
  • usos terapêuticos da Cannabis e outras substâncias.
  • a crítica da excessiva medicalização da questão social e da vida.
  • manejo de crises e prevenção de “recaídas”.

 

Módulo 08 – As transformações na Política de “Drogas”: A contrafissura em todas as esferas de poder

  • as novas legislações sobre “drogas” no âmbito nacional e municipal (cidade de São Paulo).
  • política de “drogas” e a luta por justiça no Brasil.
  • agenda estratégica do movimento antiproibicionista.

coordenação

Fernanda Almeida

Profa. Me. Fernanda Araújo de Almeida

Bacharel e mestre em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Assistente Social da Prefeitura Municipal de São Paulo. Trabalhou na Rede de Atenção Básica à Saúde e na Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania. Atualmente compõe a equipe multiprofissional do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas de Pinheiros – CAPS – AD desde 2016.

É Coordenadora do Curso de Pós-Graduação em Serviço Social e Saúde na FAPSS – Faculdade Paulista de Serviço Social e professora convidada da FLACSO – Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais no Programa de Mestrado Profissional em Políticas Públicas. Foi professora nos cursos de Serviço Social das Faculdades Metropolitanas Unidas – FMU, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP e da Unicastelo.

Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ética e Direitos Humanos (NEPEDH) da PUC-SP desde 2005. É aluna do Curso “Conflito e Sintoma” do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapiente. Seus principais temas de interesse acadêmico e profissional são: a formação e a ética profissional da/o assistente social; direitos humanos e cidadania; direito à cidade e saúde mental.

O que dizem
NOSSOS ALUNOS

Informações
GERAIS

• A quantidade de vagas disponíveis é controlada de acordo com o número de inscrições efetivamente realizadas;
• A inscrição estará devidamente aceita após a confirmação do pagamento da mesma;
• A confirmação de vaga ocorrerá via e-mail a ser enviado pela Secretaria Acadêmica da BWS;
• Caso o participante efetue o pagamento da inscrição após o preenchimento das vagas, terá o reembolso de 100% do valor pago;
• O horário do curso deverá ser seguido rigorosamente;
• A BWS se reserva o direito de não iniciar as aulas, caso não seja efetivada a matrícula por pelo menos 20 alunos
• A BWS não se responsabiliza por custos extras do aluno, tais como: hospedagem, passagem, combustível, estacionamento, alimentação e demais custos;
• Caso o aluno não inicie o curso, a taxa de inscrição não será devolvida.

Dúvidas e mais
INFORMAÇÕES

Entre em contato conosco através dos números abaixo ou do formulário ao lado.

    Nosso site utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com isto. Conheça nossa Política de Privacidade.